veja nosso
último artigo

Industrialização 11 de Dezembro de 2019

Transformação digital na construção

Participar deste movimento não é algo simples, mas crucial para a sobrevivência do setor

É fato que o avanço tecnológico está mudando o cenário da indústria e desafiando as organizações na capacidade de pensar, produzir, tomar decisões e competir comercialmente. Ferramentas como Big Data, internet das coisas (IoT), BIM (Building Information Model), entre outros, estão cada vez mais presentes no nosso dia a dia e impactando a gestão no mundo em diversos setores. Com toda essa transformação, as empresas precisam se adaptar rapidamente para garantir bons resultados.

Historicamente marcada pela baixa produtividade, a indústria da construção civil vem incorporando recursos tecnológicos digitais, apesar do ritmo lento em comparação com outros setores da economia. A consultoria McKinsey&Company constatou que a produtividade na construção global evoluiu 1% ao ano nas últimas duas décadas, bem abaixo do crescimento do setor industrial como um todo, de 3,6% ao ano. O estudo avaliou que o uso de tecnologia digital, a automação de processos, a capacitação da mão de obra e a produção em massa em processos industriais têm potencial de melhorar esses índices. Ou seja, inovar é questão de sobrevivência.

Um estudo da PricewaterhouseCoopers (PwC) com mais de 1.200 executivos de diversos países revelou que os principais impactos da inovação nos resultados das empresas são percebidos no crescimento das vendas, melhora no nível de satisfação dos clientes e aumento de novas ideias colocadas em prática. Ainda segundo o relatório, 54% das empresas inovadoras têm dificuldade de fazer uma ponte entre as estratégias de inovação e as estratégias do negócio.

NOVOS HORIZONTES

Apesar disso, os investidores de risco estão apostando muito no futuro do setor. Um relatório da James Longo LaSalle Inc. divulgado no ano passado mostra que as empresas de capital de risco investiram US$ 1,05 bilhão em construtechs durante o primeiro semestre de 2018. Isso representa um aumento de quase 30% sobre o valor investido em todo o ano de 2017. E as previsões são de que esses investimentos aumentem ainda mais nos próximos anos. 

Os indicadores mostram que nos próximos 5 anos o setor da construção civil entrará em um círculo virtuoso, e é fundamental que o segmento repense e embarque na tecnologia digital, industrialização da construção e sustentabilidade para avançar. O estudo “Tendências globais e disrupções no setor da construção”, apresentado por Paulo Vandor, sócio-fundador da L.E.K. Consulting no Brasil, durante o Construdigital 2019, apontou as 25 principais tendências que vão influenciar o mercado da construção nos próximos anos. Um dos apontamentos é a modernização da cadeia de valor, cuja as principais tendências são a construção modular e semi-modular, componentes pré-fabricados, utilização de sistemas BIM, automação dos métodos de construção e globalização da cadeia de produção. 

PROCESSO DEVE COMEÇAR PELAS PESSOAS

É muito comum que no setor da construção a inovação seja sempre associada a novas tecnologias e ferramentas relacionadas ao planejamento e ao desenvolvimento de obras. Entretanto, em um mundo influenciado pela Indústria 4.0, a transformação digital vai muito além do que simplesmente implantar essas novas tecnologias. Antes, é preciso trabalhar um aspecto fundamental neste processo de transformação: o desenvolvimento e disseminação de uma cultura de inovação.

A cultura de inovação tem a ver com a capacidade de aplicar um pensamento inovador em todas as áreas da organização. Ela pode ser entendida como uma nova forma de trabalhar e de enxergar os processos internos e externos de uma empresa. Para ser efetiva, ela deve ser um objetivo de todos os colaboradores, a fim de que percebam a sua importância para uma diferenciação no mercado e para conquistas cada vez mais importantes.

Ou seja, disseminar uma cultura de inovação e desenvolver competências inovadoras nos colaboradores para que ampliem seus conhecimentos acerca dos recursos tecnológicos que favorecem a produtividade, competitividade e a sustentabilidade do negócio também é essencial. Logo, construir um processo de transformação digital, estruturar e fortalecer uma cultura de inovação são ingredientes fundamentais para conseguir navegar neste futuro exponencial e conectado.

E então, vamos caminhar juntos nessa jornada?