veja nosso
último artigo

Inovação 18 de Novembro de 2020

Construtechs: o que é e como podem ajudar a construção civil

Leonardo Jacomini

Resumo do texto

  • Construtechs são startups voltadas para o setor da construção civil;
  • Elas têm papel importante na missão de inovar e trazer soluções criativas;
  • A construção civil no Brasil é atrasada e pode aproveitar as construtechs como salto para importantes mudanças e ganho de mercado;
  • Construtechs trabalham basicamente com: tecnologia pensada em agilidade e soluções criativas de problemas pensados na experiência do cliente.

O setor da construção civil é um dos responsáveis por movimentar a engrenagem da economia brasileira, mas ao mesmo tempo é um dos que menos inovam e deixam de buscar soluções criativas para problemas antigos. Nesse cenário surgem as construtechs, as startups voltadas para o mercado da construção.

Quem conhece o modelo de startups no Brasil sabe que é promissor e tem mostrado bons resultados em diversos setores econômicos, industriais, e-commerce, dentre outros. O segredo está em aliar criatividade, tecnologia e sistemas que agilizam o trabalho em busca de um objetivo central: a experiência do cliente.

É justamente o que as construtechs podem oferecer ao setor da construção civil, tecnologias que aprimorem o trabalho dentro e fora do canteiro de obras com soluções tecnológicas que procurem resolver as “dores” de empresas e clientes.

Benefícios das construtechs

Percebendo que o setor é um tanto quanto atrasado em questões inovadoras e o papel e caneta ainda estão presentes nas construtoras por aí, imagina-se o quanto seria viável contar com soluções rápidas, com menos pessoas, menor gasto e ainda com alta qualidade.

Já imaginou um serviço que duraria dias ou até semanas ser resolvido, ficar pronto em poucas horas? Ou ainda encontrar soluções que ninguém mais pensou ou executou?

Esse é o pensamento das construtechs, solucionar questões antigas e novas dentro de empresas como construtoras, empreiteiras, mineradoras, imobiliárias, de arquitetura, entre outras, no menor tempo possível e de uma forma que seja adequada para o cliente.

Um dos benefícios em contar com uma construtech é justamente terceirizar o serviço. Isso representa menor gasto, já que não é preciso deslocar equipes e ainda contar com um apoio tecnológico de fato. Além de aproveitar o modelo startup como uma crescente no país, onde essas empresas estão em busca de portfólio e na intenção de atrair novos clientes.

Uma startup tem no DNA buscar os principais problemas de seus clientes, no caso das construtechs, às empresas atendidas.Isso é complicado de ser estudado dentro de casa, então, entregar o trabalho na mão dessas empresas é o caminho para inovar e contar com um diferencial enorme de mercado e atrair clientes

Os diversos players do mercado civil ainda não despertaram para essa novidade e pode ser um terreno fértil para quem quer fazer diferente. O Brasil já conta com mais de 550 construtechs e em 2018 já movimentou mais de US $7,3 bilhões em investimentos no mundo.

Separamos alguns dos benefícios que a cadeia da construção civil pode ganhar com as construtechs. Dê uma olhada:

  • Sensores para detecção de problemas em canteiros de obras;
  • Uso de drones para medição e acompanhamento;
  • Gestão do canteiro de obras;
  • Contratação de mão de obra;
  • Orçamento de obras;
  • Gestão de suprimentos, compras, estoque;
  • Gerenciamento de resíduos;
  • Grande ajuda em questões sustentáveis;
  • Gestão de segurança nas obras;
  • Realidade virtual, maquetes interativas e sistemas 3D;
  • Redução na ociosidade de trabalhadores;
  • Agilidade em prazos;
  • Competitividade e apelo em marketing.

Essas são algumas das diversas possibilidades e soluções que uma construtech pode entregar, isso porque elas personalizam o trabalho à necessidade do cliente atendido.

E para que as construtechs continuem a colaborar em um cenário de evolução e soluções inteligentes ao mercado imobiliário, é preciso fomentar o incentivo à transformação digital dentro das empresas. Ainda há muito o que evoluir e descobrir no mercado e é isso que o enredes busca, aquecer discussões inteligentes que agregam ao setor.

Número das Construtechs 

Segundo um levantamento realizado pela Terracotta Ventures em 2019, o país conta com mais de 500 construtechs e proptechs (startups dedicadas ao setor imobiliário). O Sudeste é maioria dessas empresas, 59%, seguido do Sul: 29%. Nordeste tem 6%, Centro Oeste 4% e Norte 2%.

No mundo, estima-se que existam cerca de 6 mil construtechs, sendo 4 mil delas só nos Estados Unidos. As tecnologias mais usadas pelas construtoras no mundo são:

  • Soluções Pré-Fabricadas: 38%; 
  • Realidade Virtual: 28%;
  • Inteligência Artificial: 18%;
  • Sensores: 22%;
  • Robôs: 21%;
  • Blockchain: 7%
  • Outros: 5%
  • Nenhum: 42%

O número de nenhuma tecnologia usada é alta, por isso é necessário estar cada vez mais engajados nessa conversa por inovação e adoção de novas tecnologias, levando em conta que elas são essenciais em um mundo que pede mais eficiência, modernidade e fluidez nas empresas.

O mercado torce para que empresários e profissionais se atentem para as novas demandas de seus clientes e busquem ações otimizadas. É bom lembrar que a construção civil tem grande participação na economia, mas precisa se modernizar e perder a etiqueta de um dos setores que mais se desperdiça e contribui negativamente para o meio ambiente. Inovar e buscar construtechs é um bom começo para que isso mude.