veja nosso
último artigo

Inovação 17 de Outubro de 2019

RCD discute tecnologias digitais nas obras

Especialistas apresentaram aplicações práticas de ferramentas e inovações tecnológicas nas construções

Nesta terça-feira (15/10) aconteceu mais uma estação de trabalho na nova sede do CTE. Com o tema “Tecnologias digitais nas obras”, o evento reuniu representantes das empresas que integram a Rede Construção Digital e startups para discutir as novas ferramentas e tecnologias que estão transformando o cenário da construção civil no Brasil.

Giovanni Cordeiro, economista chefe na Deloitte, iniciou a programação com uma breve apresentação do estudo “Comportamento do Consumidor de imóveis em 2040”, elaborado pela Deloitte e a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). A pesquisa fez um levantamento sobre como as novas gerações esperam viver nas próximas décadas para que construtoras e incorporadoras possam oferecer soluções específicas para os perfis de residência que irão prevalecer no futuro.

Em seguida, Roberto de Souza, CEO do CTE/enredes, apresentou os resultados de uma pesquisa realizada com as empresas da RCD sobre a utilização de tecnologias digitais nas obras como BIM, drones, IoT, QR Code, entre outras. “De uma forma geral, softwares de planejamento de controle de obras e inspeção de serviços estão em peso nas empresas da Rede. Logo, ainda existe um grande campo para explorarmos com as demais ferramentas”, afirmou.

Fabiana Imamura e Camila Kfouri, profissionais da Método Engenharia, explicaram como a companhia tem olhado para as parcerias com startups, para a inovação aberta e para o desenvolvimento tecnológico com outras instituições, além de apresentar como têm aplicado as novas tecnologias nas unidades de negócios da Método. Uma das principais parceiras da empresa é a Banib Conecta, que utiliza imagens em 360º para apontar possíveis irregularidades na obra, trazer mais confiança para a tomada de decisão, agilidade na execução das tarefas de vistoria e contribuir para um melhor gerenciamento de todo o projeto.

“O que a Banib está desenvolvendo de inteligência dentro da nossa plataforma é o que faz e continuará fazendo todo diferencial de mercado. Poder gerenciar uma obra online, fazer a integração de funcionários sem ter que deslocá-los, gerar valor para o seu cliente para mostrar o andamento da obra, reduzir custos, rever processos, são ações de extrema importância. A partir de 2020 vamos entrar 100% com inteligência artificial, que enriquecerá ainda mais a experiência e mais assertividade e produtividade em uma obra”, explicou Renato Oliveira, CEO da Banib.

Para falar sobre digitalização do canteiro de obras, o CEO da Construcode, Diego Mendes, apresentou de que forma a tecnologia de QR code desenvolvida pela startup é utilizada nas obras de algumas empresas como a Método Engenharia. “A Construcode é uma plataforma online que recebe os projetos de engenharia e os converte em QR Code. Mais do que isso,  a ferramenta auxilia na gestão de obra com a distribuição correta de informações. Ou seja, a ideia não é apenas converter o projeto em QR code, mas direcionar cada informação gerada para onde ela será consumida para a execução da obra, contribuindo na tomada de decisão e trazendo mais dinamismo ao canteiro de uma forma muito simples e prática”, afirmou Diego.

Depois do coffee break, Paula Lunardelli, CEO & Founder na Prevision, contou um pouco sobre sua experiência no setor da construção e sobre o software da empresa para gestão e planejamento de obras. Por meio de cases e exemplos, a engenheira ilustrou a funcionalidade da plataforma, explicando, por exemplo, como um planejamento que levaria dias é feito em algumas horas. Tudo isso com uma conexão direta entre canteiro de obras e escritório, por meio do aplicativo, além do gerenciamento de todas as obras em apenas uma tela.

Ana Cecília, CEO da Autodoc, explicou aos participantes as funcionalidades e aplicações do GD4, um software de Gestão de Documentos Legais e Fiscais que trabalha de forma inteligente e integrada com toda a rede de responsabilidades das relações de trabalho, minimizando riscos do contratante. Ana apresentou diversos cases que mostraram como um controle eficaz de documentos com Autodoc GD4 contribui para prevenir ônus financeiros e para a redução da quantidade de acidentes, promovendo saúde e segurança aos colaboradores.

Para encerrar a programação, Eduardo Machado, da Maply, abordou um assunto que tem ganhado bastante relevância atualmente: a utilização de drones nas obras. Por meio de um case da Alphaville Urbanismo, ele destacou os principais benefícios dessa ferramenta nos canteiros. “A coleta de informações toma quase 50% do tempo dos colaboradores no campo. Logo, uma das vantagens é a redução no tempo de coleta de informações e a possibilidade de disseminá-las a todos envolvidos no projeto em um curto período de tempo, além de mais assertividade na tomada de decisão. Em um canteiro de 50 ou 100 hectares, por exemplo, um levantamento pelo método tradicional levaria semanas, enquanto com um drone isso leva poucas horas”, pontuou Eduardo.

Existem ainda muitas ferramentas e processos como BIM, big data, internet das coisas (IoT), dispositivos inteligentes, realidade virtual, entre outros, que estão contribuindo para este novo cenário da construção. Para conhecer mais a fundo essa nova realidade, participe do Construdigital Conference 2019, que acontece dia 30/10. Os maiores especialistas do mercado estarão reunidos para apresentar e discutir quais os caminhos para a inovação e como construtoras e construtechs no Brasil e no mundo estão rompendo as barreiras de um setor tão conservador. Clique aqui para conferir a programação completa e adquirir o seu ingresso! Você não pode perder!