Canteiros inteligentes e com tecnologias digitais já são realidade no Brasil

Redação Enredes / 12 de julho de 2021

É verdade que a construção civil brasileira, de modo geral, tem um viés tradicionalista e é apegada a métodos de produção artesanais. Mas um processo de transformação está em curso com a inserção de tecnologias digitais para simplificar processos, melhorar controles, adicionar segurança e elevar a produtividade nos canteiros de obras.

O 5º Workstation da Rede Construção Digital e Industrializada (RCDI) realizado no dia 6 de julho mostrou algumas práticas que comprovam essa mudança. O evento contou com a participação de mais de 140 profissionais que representaram as 72 empresas que compõem a Rede.

“Em um cenário de forte elevação de preços de matérias-primas e alta volatilidade da mão de obra, as empresas precisam aumentar a produtividade. Não dá para simplesmente repassar o aumento de custos de produção para o cliente. A saída é investir na transformação digital, fazer uma gestão enxuta e industrializar processos”, disse Roberto de Souza, CEO do CTE e mediador do workstation.

Chão de obra digital

Empresas como Cyrela e R. Yazbek já seguem esse caminho. Com 59 canteiros em funcionamento no momento, a Cyrela tem utilizado tecnologias digitais em diversas áreas do chão de obra. “Para integrar e padronizar os processos de gestão, por exemplo, a ferramenta empregada é o Planner (Microsoft). Já para apoiar a área de planejamento e orçamento, utilizamos o Power BI (Microsoft), que permite aos gestores interpretar dados e tomar decisões ágeis”, comentou o gerente geral de operações Carlos Grazina.

Para suporte à área de qualidade, a Cyrela está em processo de migração das fichas de verificação de serviços (FVS) impressas para o Dynamics, também da Microsoft. “Além disso, estamos iniciando o uso de um relógio para monitoramento da saúde em tempo real dos colaboradores”, disse Grazina, explicando que o vestível desenvolvido pela Dersalis já é aproveitado na indústria petrolífera. “Agora pretendemos utilizá-lo com operadores de gruas”, revelou o engenheiro.

A R. Yazbek vem em uma trajetória semelhante com a introdução de novas tecnologias para tornar seus canteiros mais inteligentes. Quando iniciou sua jornada, um dos objetivos da empresa era diminuir o enorme volume de papéis de difícil controle e grande impacto ambiental. “Também era nossa intenção garantir que as informações no canteiro fossem atualizadas just in time”, disse o superintendente de construção César Kato, revelando que a digitalização também foi inserida na construtora para facilitar o trabalho das pessoas e reduzir custos.

Hoje, a  R. Yazbek utiliza um amplo rol de soluções selecionadas após análise de um grupo de inovação interno. Entre as tecnologias empregadas destacam-se plataformas de gestão de projetos (Autodoc Projetos), de registro de inspeções  (Autodoc FVS) e para visualização dos projetos em campo (Construcode). A construtora também tem obtido bons resultados  com soluções para registro de documentos e laudos relacionados ao atendimento à Norma de Desempenho (Autodoc PCP), para controle de acesso (Autodoc GD4) e para simular a montagem e desmontagem do andaime fachadeiro (Augin).

Vistoria remota

Durante o Workstation, a aplicação do tour virtual 360º para acompanhamento e vistoria de obras foi abordada em apresentação de Renato Rodrigues, CEO da Banib, e Camila Kfouri, especialista BIM na Método Engenharia.

A tecnologia já utilizada por 42 construtoras e 970 imobiliárias consiste em um passeio feito em ambiente digital a partir de imagens em 360º. “Além de visualizar o que ocorre no canteiro, a plataforma permite comparar a evolução da obra em diferentes momentos, fazer medições dentro do tour e gerar relatórios fotográficos”, citou Rodrigues. 

A Método vem utilizando tours virtuais interativos em obras como a do Aeroporto Internacional de Fortaleza. Nesse caso, a ferramenta também foi utilizada para realizar registros de As Built. Segundo Kfouri, alguns ganhos importantes obtidos pela construtora com a solução foram a redução de custos com deslocamentos de profissionais e uma melhor experiência para o cliente.

Gerenciamento de ativos e integração

“A digitalização nos canteiros só faz sentido quando visa proporcionar ganho de produtividade. Não pode ser a tecnologia pela tecnologia”, argumentou Ana Gea, diretora de marketing na Hilti. Ela levou aos participantes do evento exemplos de aplicação do On!Track, serviço de gerenciamento de ativos que combina software em nuvem e etiquetas que podem ser aplicadas em diferentes tipos de ferramentas, equipamentos e consumíveis. 

“As tags podem adquirir uma camada extra de inteligência quando incorporam recursos analíticos via Internet das Coisas (IoT). Com isso é possível não apenas saber a localização de cada equipamento, mas obter dados sobre seu desempenho e sobre como ele está sendo utilizado”, disse Gea.

Encerrando a tarde rica em troca de experiências, Felipe Canuso, partner e head de tecnologia na Ambar Tech, apresentou o case de implantação da plataforma Eva para integrar diversos processos de gestão nas obras da ForCasa. Focada em empreendimentos habitacionais de padrão econômico e super econômico, a construtora e incorporadora estava em busca de uma solução que permitisse expandir sua atuação em quase 40 municípios, sem comprometer o controle de qualidade, e que viabilizasse a tomada de decisões ágeis. “Era um sonho ter as informações em um dashbord onde qualquer desvio e não conformidade pudesse ser visualizada on time”, disse Oswaldo Pinheiro, VPO na ForCasa. Ele revelou que, em sua caminhada de digitalização, a construtora priorizou a simplificação de processos e a integração de diferentes softwares. 

“Com o apoio do Eva, foi possível oferecer à ForCasa uma gestão integrada de todas as obras, acelerar a consolidação das informações, simplificar os contratos e reduzir o tempo de fechamento das medições, e ainda disponibilizar um ranking global de fornecedores para acompanhar o desempenho de cada empreiteiro”, finalizou Canuso.

O próximo workstation da Rede Construção Digital e Industrializada abordará os sistemas industrializados para vedações, portas, caixilhos e revestimentos. Fique atento às atualizações do nosso blog e às redes sociais do enredes para não perder as novidades!

ator Redação Enredes

Notícias Relacionadas