Entrevista: Roberto de Souza

Confira o bate papo 

Roberto de Souza, Presidente do CTE, comenta sobre perspectivas de mercado e a importância da gestão empresarial e inovação na construção em um mercado recessivo

É possível perceber oportunidades de novos negócios neste cenário recessivo que a construção enfrenta?

No mercado imobiliário habitacional, creio que há ainda muito espaço no segmento de habitação econômica e dentro do programa MCMV, assim como oportunidades para apartamentos compactos de alto padrão em regiões das cidades que ofereçam serviços e mobilidade urbana, tanto para venda quanto para renda.

Vejo também oportunidades nos residenciais de alto padrão em regiões nobres das grandes e medias cidades e em loteamentos diferenciados em cidades de médio porte. Há também nichos residenciais para estudantes e terceira idade, os chamados student living e sênior living.

No mercado comercial, percebo algumas oportunidades em retrofits e adequação de edifícios triple A, transformando-os em green buildings.

E há espaço ainda para prestação de serviços de projetos, materiais e obras, para edificações nas áreas de saúde, educação, varejo, bancos e interiores.

 

Quais áreas você acredita que mereçam hoje maior reflexão das empresas para futuras e necessárias mudanças em sua atuação?

Uma área prioritária é a da definição do posicionamento competitivo das empresas. O mercado mudou fortemente e faz-se necessário mapear as oportunidades e ameaças externas e as potencialidades e fraquezas internas, para priorizar os focos de atuação e as novas estratégias e definir novos caminhos.

É importante também visitar os processos de produção e de trabalho, eliminando as etapas desses processos que não agregam valor, fazendo mais com menos e aumentando a produtividade.

Outro ponto importante neste momento é o estabelecimento de parcerias com fornecedores de projeto, materiais e empreiteiros, visando a geração de valor ao produto final e o exercício de processos colaborativos entre as empresas da cadeia produtiva.

 

Qual o papel da inovação na atual conjuntura de mercado?

A inovação passa a ter vital importância neste momento de mercado. Sair ‘da caixinha’ e se reinventar é fundamental para se preparar para um novo ciclo de crescimento do mercado.

Podemos, por isso, pensar em quatro tipos de inovação:

Inovação no produto – novos materiais, novos componentes, novos sistemas construtivos e novos produtos imobiliários.

Inovação em processos – melhoria incremental de processos administrativos e financeiros, aplicação de ferramentas de TI na gestão da empresa e das obras, parceria com fornecedores visando aumento da produtividade os processos de produção.

Inovação em marketing e vendas – utilização de ferramentas digitais em marketing e vendas, redes sociais, novos modelos de relacionamento e benefícios aos clientes.

Inovação em modelos de negócios – atuação em novos nichos como locação de imóveis residenciais, self storage, hotelaria estudantil.

 

O que devemos esperar do encontro de diretores e gestores desse ano?

Uma grande reflexão com líderes empresariais de primeira grandeza, olhando para o futuro e definindo os caminhos para o mercado da construção. Praticamente um trabalho de ‘psicanálise setorial’, com foco na superação e na construção de um futuro promissor para o nosso setor.

 


Roberto de Souza
Engenheiro Civil, Mestre e Doutor em Engenharia pela EPUSP. Diretor Presidente do CTE. Especialista em gestão estratégica, qualidade, tecnologia, sustentabilidade e inovação na construção. Autor de 8 livros focados em Gestão, Tecnologia, Sustentabilidade e Inovação em Empresas Incorporadoras, Construtoras e Projetistas.
Próximos eventos:
seg ter qua qui sex sab dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30