Caminhos para a gestão da construção em um mercado com graves restrições

Veja os resultados, apresentações e as principais reflexões desta oficina

No dia 14/04/2015, seis palestrantes e 160 profissionais da cadeia produtiva da construção participaram da primeira oficina temática promovida pelo EnRedes – Caminhos para a gestão da construção em um mercado com graves restrições.

Foram apresentadas e debatidas as melhores práticas de gestão e soluções implantadas por empresas para a melhoria dos processos e da qualidade relacionados a projeto, construção e fornecedores, e para ajustes na gestão nos canteiros frente à escassez de água e energia.

Organizada para que todos pudessem interagir de forma diferente e diretamente com os palestrantes e os profissionais de vários segmentos da construção, a oficina possibilitou uma participação bastante ativa e interativa de todos os presentes, cujas principais reflexões estão a seguir.

 

Refletindo sobre a gestão em um novo cenário de mercado

Diante dos atuais desafios econômicos do setor da construção, é necessário pensar e agir de forma ampla e integrada para minimizar os grandes riscos que o mercado, muito competitivo, impõe. A oferta está muito acima da demanda no mercado imobiliário, e o cliente hoje sabe exatamente o que quer. Ganhará espaço as empresas que mantiverem seu foco nas novas exigências do mercado e dos clientes e oferecerem produtos de qualidade, seja em qualquer faixa e padrão.

É necessário analisar tanto as ameaças como as oportunidades neste cenário agora mais restrito, medir cada região e mercado onde se deseja atuar, planejar e incorporar aos produtos a qualidade, o desempenho, a novas tecnologias e a produtividade, inovar e praticar a Engenharia de Valor, de forma que esta seja a conduta e prática de responsabilidade incorporada pelas empresas daqui para frente, e não mais destacadas como seus diferenciais.

 

Pensando na gestão de fornecedores e de projetos

Deve-se promover um esforço para que todos saiam da zona de conforto em que o boom imobiliário inseriu as empresas do setor, quando a demanda de mercado era muito forte. Reduzir custos, aumentar a produtividade e inovar estão na pauta do setor, por isso será importante criar parcerias com fornecedores para o desenvolvimento conjunto de soluções que tragam ganhos de produtividade, desempenho e qualidade.

Da mesma forma, ganha força a eficiência e qualidade do projeto para minimizar os riscos da construção e garantir a todos os clientes as melhores soluções em engenharia, construção e manutenção. Além disso, o investimento em tecnologias como o BIM, que possibilita a Integração Projeto x Planejamento x Execução e promove a industrialização, deverá transformar o canteiro de obras em linha de montagem, reduzindo quantidade mão de obra e prazo, aumentando a qualidade e segurança do trabalho.

 

A importância da gestão de resíduos, de água e energia nos canteiros

As atividades da construção são as que mais consomem recursos naturais, gerando consideráveis impactos ambientais. Gastos com energia e água – recursos que estão na mira da escassez e do racionamento – são fatias expressivas das edificações e canteiros de obras. Levar em consideração a economia no consumo de água e energia, além do uso de materiais e geração de resíduos, é fundamental pela iminente falta desses recursos no planeta, assim como é possível pelas inúmeras soluções tecnológicas hoje disponíveis.

A gestão dos resíduos, do consumo de água e energia, portanto, é estratégica dentro da organização e deve fazer parte dos canteiros de obras, assim como ser foco de todos os projetos e planos de produção. As soluções e práticas sustentáveis não são  exclusividade de grandes empresas, e são plenamente possíveis em pequenas empresas e pequenas obras, bastando começar com projetos bem estruturados, que realmente agreguem valor e reduzam custos e recursos nos canteiros.

 

Na programação abaixo, você pode acessar as palestras e os cases apresentados.

 

PROGRAMAÇÃO 14/04

Clique nos nomes dos palestrantes para acessar os currículos

8h00 Credenciamento | Good Morning Coffee

8h45 Abertura

Roberto de Souza (Presidente do CTE)

 

Painel I - Gestão da construção em um novo cenário de mercado

9h00 Desafios da engenharia no novo cenário do mercado imobiliário

Mário Rocha Neto (Presidente da Rocontec Rocha Construção e Tecnologia)

9h45 Planejamento da construção e monitoramento da qualidade na EZTEC

Carlos Eduardo Monteiro (Diretor de Planejamento da EZTEC)

10h15 Debates

10h45 Coffee Break

 

Painel II - Gestão de projetos e fornecedores

11h15 Gestão de documentação e de integração de fornecedores nas obras da Even

Silvio Gava (Diretor Executivo Técnico e de Sustentabilidade da Even)

11h50 Gestão de projetos e sua importância para o desempenho das obras da Método.

Joyce Paula Martín Delatorre (Head – BIM e Coordenadora de Projetos da Método)

12h30 Debates

13h15 Business Lunch

 

Painel III - Gestão de canteiro de obras e a crise hídrica e de energia

14h30 Gestão de resíduos, água e energia em canteiros de obra da Cyrela

Alexandre Britez (Gerente da Qualidade, Desenvolvimento Tecnológico e Produção Sustentável da Cyrela)

15h05 Soluções sustentáveis em canteiros de obras com foco na redução de riscos e custos

Daniel K. Ohnuma (Integrante do Comitê Diretor e Consultor Sênior da Unidade de Sustentabilidade do CTE)

15h40 Debates

DESTAQUES DO ENCONTRO

 

A emissão de gases de efeito estufa (GEE) deste evento foi calculada pelo CTE e foram plantadas pela empresa Curupira 33 árvores para neutralizar os efeitos das emissões de CO2.

Total de emissões do evento (kgCO2e) = 5.758,012

Capacidade média de retenção de CO2 por árvore durante 20 anos = 175,14

Número de árvores plantadas para neutralização de GEE deste evento = 33

 

Próximos eventos:
seg ter qua qui sex sab dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
PATROCÍNIO
Clique nos logos e saiba mais sobre nossos patrocinadores
APOIO