veja nosso
último artigo

Tecnologia 24 de Novembro de 2020

Tecnologias digitais aplicadas aos canteiros de obras: contemporaneidade à construção civil

Pedro Costa

Resumo do texto:

  • Soluções inteligentes para serem aplicadas em canteiros de obras visando modernização e tecnologia - segurança ao trabalhador;
  • A evolução das redes de internet de alta velocidade e o acesso a novos dispositivos eletrônicos tornaram a modernização de canteiros de obra mais acessível; 
  • Projetistas se integram em todas as etapas de uma obra através da implantação de etapas em BIM; 
  • O setor da construção civil está nas últimas colocações entre 20 áreas estudadas sobre o uso de tecnologias e inovação;
  • Com o uso de tecnologias as pessoas trabalharão melhor nas obras em um futuro próximo;
  • Recomendações dos profissionais para avançar em construções digitais.

Canteiros de obras que possuem camadas de tecnologias digitais aplicadas e integradas entre si, implicam no futuro da construção civil. Pensar na finalidade de softwares e hardwares - apps de planejamento/armazenamento, dispositivos como drones, câmeras e óculos de realidade aumentada, por exemplo, impactam em soluções inteligentes.

A grande discussão que merece ser levantada ao falarmos dessa modernização e utilidade de tecnologia, está no quanto ela será positiva ao trabalhador e usuário. Isso significa que o operário poderá contar com mais segurança com o advento de sistemas e dispositivos em todos os processos da construção?

Pensando nisso, o canal do enredes no Youtube, promoveu um webinar para debater o real uso de tecnologias em canteiros de obras, desafios e aplicabilidade no Brasil. Roberto de Souza, CEO do CTE e Enredes, recebeu os convidados Ana Csestak - CEO da Autodoc, Franco Elmor - Diretor de Construção da MRV, Gustavo Aguiar - Diretor técnico da Método Potencial Engenharia e Renato Genioli - Diretor de Construção da RYazbek. 

Como maximizar o uso de tecnologia nas obras

É imprescindível que o profissional da área da construção respire inovação. Para Ana C., existem dois marcos que implementaram o uso de tecnologia: incremento das redes de internet de alta velocidade e a disponibilidade de dispositivos. “Hoje a obra inteira e todo seu processo cabe na mão de uma pessoa”, diz. 

Implantação de etapas em BIM (Building Information Modeling) também inclui valor - dessa forma foi assegurado que projetistas, por exemplo, pudessem se integrar com todas as etapas da obra.  

Outro ponto visto como potencializador é a necessidade de apoio aos processos de digitalização por parte da cadeia de fornecimento, empresas de mão de obra e startups. Algumas marcas já conseguem somar apontando à sustentabilidade e bom desenvolvimento da construção. “Temos que pensar adiante, uma vez que a construção civil está em penúltimo (só perde para a área da caça) no quesito de inovação e tecnologia em 20 ramos que foram estudados”, comenta o Diretor de construção da MRV, Franco E.

Existe uma pressão para a aceleração e incremento de tecnologia, mas ainda estamos longe do ideal. É necessário fomento e ajuda, pois há situações no canteiro de obra que precisam de soluções inteligentes - quanto mais especializados, percebemos a necessidade de ofertar algo ainda melhor. 

Digitalização da construção 

O mercado da construção civil ainda é tradicional e cercado por resistências - principalmente ao uso de recursos digitais para visualizar uma obra. Para Franco E., é preciso fazer essa digitalização, pois, a maioria das pessoas têm smartphones e estão conectadas. “Vivemos em um mundo totalmente digital e devemos andar casados com a industrialização e inovação dentro e fora das obras”, defende.

É preciso entendimento daquilo que funcionará no mercado brasileiro e até que ponto podemos ir. Para Ana C., esse é um trabalho de longo prazo que demanda um pensamento engajado. “Empresas precisam deixar mais formalizadas as questões de boas práticas que remetem à industrialização. Isso será um verdadeiro legado para os trabalhadores e usuários que vivenciam o processo atual. Eles vão trabalhar melhor no futuro”, explica.

Hoje o profissional da construção civil (como parte da sociedade) está totalmente inserido no ambiente da tecnologia. Utiliza Uber para deslocar-se, Spotify para ouvir músicas, aplicativos de delivery para alimentação, dentre outros. Infelizmente ao retornar para a obra, muitos ainda julgam relevante o ‘pé no barro’. Gustavo A., entende que não há como realizar obras ao meio da bagunça. “A mudança não acontece na pressão e as pessoas precisam se engajar para mudar essa cultura em um canteiro de obra. É preciso aceitar a digitalização. A tecnologia precisa ser um facilitador”, justifica.

Para Renato G., o uso da inovação para engajamento da equipe é iminente. “Desde pedreiros utilizando tecnologia até engenheiros, o desenvolvimento da obra torna-se mais fácil e natural”, fala. Aproveitar os benefícios da modernidade pode ser algo totalmente normal para muitos, mas ainda é preciso entender como empregar isso em diversos processos de um canteiro de obras.

Recomendações humanizadas para avançar a construção digital em uma obra

Os profissionais listaram orientações para que canteiros inteligentes sejam consolidados no Brasil e sua prática possa ser expoente entre as construtoras:

  • Encontre uma linha para seguir e encaixar o modo de trabalho da sua equipe;
  • Tenha iniciativa e arrisque desafios; 
  • Entenda a necessidade de propor soluções flexíveis que não travem processos na obra;
  • Seja um provocador e pense fora da caixa: busque soluções criativas;
  • Realize testes antes de implementar em projeto piloto na obra; 
  • Aceite os erros: ‘se ao inovar não falhou, então não existe inovação alguma’; 
  • Aposte no potencial da sua equipe; 
  • Mantenha o aprendizado contínuo e acelerado sobre tecnologias;
  • Saiba trabalhar frustrações. 

Acompanhe o webinar na íntegra: