veja nosso
último artigo

Mercado 29 de Setembro de 2020

Empresas se empenham na gestão de pessoas durante pandemia

Leonardo Jacomini

Resumo do texto: 

  • A necessidade de sensibilizar líderes para que possam lidar com os medos dos colaboradores diante um momento de crise;
  • Preocupações relacionadas a manutenção de empregos em momento de crise e instabilidade; 
  • Mudança no comportamento para com os colaboradores - humanização e preocupação com saúde e bem-estar;
  • Sistema de trabalho home office tem se mostrado produtivo em diversas empresas;
  • Viabilização de infraestrutura para que algumas atividades pudessem ser desenvolvidas a distância - valorização do setor de TI das empresas; 
  • Retorno das atividades na empresa será de maneira gradual e em rodízio para que funcionários sejam preservados;

Não há dúvidas de que estamos passando por tempos de incertezas e transformações. Tratando-se de empresas, uma dessas mudanças está ligada diretamente à gestão de pessoas, ou melhor, dos colaboradores que a compõe.

Para debater o assunto, o enredes promoveu um webinar e os convidados para esta conversa foram Eduardo Carmello, da Entheusiasmos Consultoria, Henrique Matsuo, da Alphaville Urbanismo, Fabricio Drager, da InterCement e Márcia Amore, da Método Engenharia.

A gestão de pessoas dentro de uma empresa, em plena pandemia, começa pelo cuidado em sensibilizar líderes para que eles saibam lidar com os medos dos colaboradores.

Esses medos, neste momento, envolvem mais do que a própria doença em si, mas em perder a vida de alguém importante e a preocupação com a manutenção dos empregos, já que vivemos um período de instabilidade em alguns setores.

Outra expertise que se espera de um líder e mais precisamente de uma empresa como gestão, é que as equipes estejam na mesma página, onde todos saibam o que está acontecendo na organização. Isso faz com que os times permaneçam engajados.

Os convidados concordam que a comunicação é um dos pilares mais importantes nas organizações no momento. Por isso, é comum que empresas se preocupem cada vez mais com canais de comunicação e ferramentas que intensifiquem essa proximidade, mesmo em home office. 

                                                       

Gestão é transformar e gerar bem-estar

Muito além de garantir que todos colaboradores estejam trabalhando bem e produzindo, mesmo em condições diferentes do normal, é preciso olhar para o bem-estar de cada um.

As empresas que os convidados representam neste webinar, garantem que a preocupação mudou. O olhar é mais humano, em busca de um equilíbrio entre as entregas, saúde e segurança do funcionário.

Algumas dessas práticas foram adotadas logo no começo da pandemia, como a distribuição de produtos para a higiene e proteção ao vírus, tentando retardar a chegada da doença nos canteiros de obras do setor da construção civil.

Logo depois, veio a adoção do trabalho remoto pelas empresas, tudo pensado na prevenção e cuidado com as equipes. E foi durante o home office que empresas perceberam a necessidade de incluir novas atividades, como ginástica laboral, atividades de respiração e apoio psicológico aos colaboradores, tudo de forma online e focado no bem-estar.

Henrique conta que a empresa aproveitou o momento para motivar os colaboradores, diretores e líderes têm momentos de bate-papo com toda a equipe, onde é possível trocar experiências sobre as carreiras. 

Esses momentos servem como descontração e aproximação de uma empresa, que por hora, não pode estar reunida.

Trabalho Home Office gera bons resultados

Durante o webinar foi comentado que não se esperava resultados tão animadores se tratando de home office. Esse sistema de trabalho tem mantido a produtividade alta, até melhor do que presencialmente em algumas ocasiões.

Para a manutenção do trabalho e garantir que todos estejam realmente adaptados, é preciso reforçar feedbacks entre colaboradores e líderes. Isso serve para qualificar o relacionamento e a continuação da eficiência. Orientação e capacitação é igual a produtividade, lembram os convidados.

A parte da mudança para o digital certamente foi mais tranquila para organizações que já estavam acostumadas, mas, foi um processo de rápida adaptação para outras que ainda tinham esse método distante.

Os convidados reforçam também que as equipes de TI tiveram uma grande importância nessa transição do escritório para casa. Foi um esforço para viabilizar infraestrutura e acesso de dados, além de garantir ferramentas de comunicação para todos "andarem juntos".

Toda a empresa está aprendendo, é uma reinvenção, e não adianta esperar ou fugir dessa mentalidade. O que vem de novo deve permanecer, reforçado pelas ações eficientes que se observa nas organizações em plena pandemia.

Retomada das empresas

A retomada das empresas deve ser gradual, tanto aos lucros quanto ao sistema de trabalho - que deve se adaptar às novas demandas. Para isso, será preciso observar particularidades dos colaboradores.

São funcionários com filhos em que a escola ainda não retornou às atividades, que cuidam dos pais em grupo de risco e diversos outros fatores.

Essa retomada é uma parceria que deve ser feita entre as áreas, cuidados com as equipes, os espaços e sistemas de rodízios. Por isso, reforça-se a ideia de que não será uma volta 100%.

Fabrício lembra que, assim como outras empresas, estão criando protocolos de retorno. Essa preocupação está em pensar na estrutura, adequando espaços de reuniões e refeitórios, por exemplo.

Eduardo enfatiza que, a efetividade de algumas atividades serão revistas. As reuniões devem ser mais eficientes, sem a necessidade da presença física das pessoas, além da própria quantidade dos encontros.

Modelos deverão ser adaptados. Capacitações devem passar para o modelo digital, além da redução de viagens. Isso deve gerar economia, eliminando custos, tanto de tempo, quanto deslocamentos - a mentalidade Lean será importante nessa retomada.

Gestão pós COVID: o que esperar?

Fabrício esclarece que crises trazem legados positivos. Um dos fatores a serem observados nas empresas é o protagonismo responsável. Equipes focadas em entregas e resultados, e a confiança nas pessoas deve ser uma mudança positiva.

Já Márcia, lembra das atitudes que as empresas devem adotar mesmo depois da pandemia. O uso do álcool em gel e de máscaras, devem ser continuados ou aprimorados.

Já na questão da execução, as experiências positivas do trabalho remoto vão ser aproveitadas e aperfeiçoadas. O foco estará muito mais na entrega do que nas horas trabalhadas. A ideia é compartilhada por Henrique, que diz que a credibilidade entre líderes e equipe será maior.

A pandemia deixa uma lição para as empresas

As empresas que estão bem nesse momento e preparadas para enfrentar da melhor forma essa crise, construíram uma estratégia inovadora no passado. Organizações que adiaram a adoção do digital, tiveram que se adaptar em um curto espaço de tempo.

Enquanto algumas empresas focaram só no caixa, outras procuraram produzir valor, “marcando corações e a mente do cliente”, reforça Eduardo.

Esse é um período de aproveitar oportunidades e construir relações. O momento é de voltar a aquecer as vendas, mas sobretudo, quem produz valor e mantiver o relacionamento durante e depois da crise, certamente será lembrado em tempos melhores.

Acompanhe o weninar tema deste webinar