• (11) 2149-0300
Tecnologia 8 de Agosto de 2018

Drones: melhor desempenho na construção

RCD analisa múltiplas aplicações de drones na construção, com foco na melhoria da qualidade, do projeto e do desempenho das edificações

 

Conhecidos como veículos aéreos não tripulados (VANTs), os drones, antes considerados um dispositivo de alta tecnologia, de alto custo e praticamente inacessíveis, estão ganhando cada vez mais espaço e diferentes aplicações em todos os setores da sociedade.

A história dessa tecnologia não é tão recente: este tipo de dispositivo teve sua origem na indústria bélica, sendo testado na Segunda Guerra Mundial e aprimorado durante o período da Guerra Fria, principalmente para estratégias de monitoramento e espionagem. No decorrer do tempo, as pequenas aeronaves foram se popularizando, tiveram seu custo bastante reduzido e sua utilização amplamente disseminada em atividades industriais e comerciais de diversos segmentos da economia.

Guiados remotamente e sem a necessidade de tocar no objeto, os drones tornam possível a realização de tarefas arriscadas e até mesmo impossíveis para o ser humano. Podem chegar a regiões ou espaços de difícil acesso e visualização, equipados com sensores para capturar uma impressionante variedade de dados, aliados à mais nova visão computadorizada e à inteligência artificial.

Existem hoje diversos tipos de drones: com asas fixas ou híbridos com múltiplos rotores, com a capacidade de voar além da linha de visão, com a devida segurança de qualquer dispositivo conectado à internet e cada vez mais independentes de habilidades de um ‘piloto’ humano. Drones que evitam obstáculos, fazem leituras 3D do que veem, usam sensores infravermelhos, podem ser dobrados e guardados no bolso de uma camisa, feitos de papel ou com fuselagem de fibra de carbono, que alcançam 160 km/hora...

O futuro dos drones está bem desenhado e totalmente direcionado para a automação do processo de uso (lançar, controlar e captar dados usando sua própria tecnologia) e para inteligência do processo de coleta (transmitir e analisar dados ‘just in time’), o que os tornará ainda mais eficientes em termos de precisão.

Múltiplas aplicações de drones na construção

O uso de drones para capturar imagens aéreas de um empreendimento, e usá-las posteriormente em campanhas publicitárias para chamar a atenção de um cliente no processo de vendas, deixou de ser a única aplicação dessa tecnologia e um diferencial para a construção civil.

Drones equipados com sensores podem ser usados para capturar uma enorme gama de dados, tornando mais eficientes vários processos da construção.

Trabalhos de inspeção, que costumam demorar semanas, agora podem levar apenas alguns dias. Inspeção remota de estruturas, que utiliza a digitalização de um mapa em 3D ou imagens térmicas de modelagem e imagens não destrutivas com radiação terahertz captadas pelos drones, permitirá a manutenção de obras e edificações com precisão.

O mapeamento da área a ser construída é outro processo da construção que pode se apropriar de análises dos drones, através de modelos em 3D ou simulações em realidade virtual de modelos digitais de terreno gerados pelas imagens aéreas, trazendo excelente economia e diminuição de prazos nesta fase.

Simulações e prévias de lançamentos podem ter o drone como aliado, pois as empresas podem investir neste caminho de inovação, tanto produzindo vídeos e fotos, como simulações da vista por andar para seu cliente ter a oportunidade de visualizar tudo que poderá desfrutar.

Além disso, os drones podem auxiliar na inspeção de segurança do trabalho em obras, resguardando as empresas desde a cobertura de acidentes com funcionários até atrasos e falhas de projeto; no acompanhamento do progresso da obra, que fornecerá o status dos pacotes de serviços realizados dia-a-dia e prazos de execução; e na própria inspeção da obra, através de um mapa detalhado fornecido pelos drones, em que se obtêm medidas, posicionamento, volumes, inclinações, etc.

Múltiplas aplicações de drones na construção foram apresentadas e consideradas pelos especialistas Alexandre Miranda (CEO da Maply), Eduardo Machado (Founder da EmDrone) e Gualter Afonso (Superintendente de Obras da Alphaville Urbanismo), na estação de trabalho da Rede Construção Digital realizada no dia 31/07/18, no espaço SP Center.

Além das palestras e cases apresentados pelos especialistas, as empresas da Rede analisaram, discutiram e votaram, a partir da dinâmica de grupos, projetos que podem ser desenvolvidos com o uso de drones na construção. Um grupo específico sobre o tema (formado pelas empresas AutoDoc, Gafisa, França & Associados, Saint-Gobain, CTE, Alphaville Urbanismo, Maply e EmDrone) deverá agora prosseguir com as discussões para a viabilidade dos três projetos mais votados: integração de dados coletados por drones com dados de BIM em Projeto; aferição da qualidade entre o planejado e o executado em obra; integração entre AutoDoc e Maply para gerar ‘as built’ e revisões de projeto.

Veja o vídeo da estação de trabalho da Rede Construção Digital sobre Drones

 

#movimentonosetordaconstrução #redeconstruçãodigital #enredes

 

    Quem somos