veja nosso
último artigo

Materiais 17 de Novembro de 2020

A evolução do uso da madeira engenheirada para o sistema construtivo

Pedro Costa

Resumo do texto: 

  • A exploração do uso da madeira na construção civil ainda depende de estudos e investimentos - é mais comum fora do Brasil;
  • Aço e concreto representam 11% de emissões de carbono no mundo;
  • A velocidade e a forma como a madeira poderá mudar processos industriais - previsão de obra com sustentabilidade e menos desperdício;
  • A madeira como um neutralizador de outros componentes que estão na obra. Governos utilizam da madeira engenheirada como uma maneira de atender a agenda de emissão de gás carbônico;
  • Tratamentos garantem força e durabilidade à madeira - apesar de ser um material combustível, a madeira é segura.

A madeira engenheirada traz soluções e inovação sustentável para o mercado brasileiro da construção civil. É um material processado industrialmente com finalidades promissoras voltadas (principalmente) para a sustentabilidade. Os produtos mais conhecidos são o CLT  (sigla em inglês - madeira laminada cruzada) e o MLC (madeira laminada colada). 

O canal do enredes no Youtube promoveu um webinar para tratar sobre o assunto e discutir sobre a aplicabilidade do material e barreiras que precisam ser superadas. Roberto de Souza, recebeu e moderou a conversa entre os convidados Ana Belizário, da Amata, Nicolaos Theodorakis,  CEO da NOAH, André Glogowsky, membro do Conselho da HTB Engenharia e Construção e Alexandre Kröner, sócio-Fundador da Kröner e Zanutto Arquitetos.

A exploração do uso da madeira para diversas áreas da construção civil depende de pesquisa e investimento. Segundo Nicolaos T., quando tratamos de um elemento novo estrutural, leve e sustentável, falamos de um ponto específico em mudança na construção civil. “Dessa forma nós nos voltamos para a sustentabilidade. O aço e o concreto representam juntos 11% das emissões de carbono no mundo. Temos que pensar nisso. A madeira traz mais flexibilidade fabril”, explica. 

Os principais benefícios do uso dessa tecnologia

O uso de madeira engenheirada atende às necessidades de construções - principalmente públicas - de serem sustentáveis. Conforme espaços com essa tecnologia são promovidos, as pessoas se habituam por lugares com madeira e passam a aplicar nas residências. 

Para André G., os benefícios do uso da madeira não se voltam apenas para a sustentabilidade. “A madeira pesa 500 kg contra duas toneladas de concreto na mesma proporção. Hoje já conseguimos que as madeiras durem muito mais, tão bom ou melhor em relação ao concreto ou aço”, diz. Apesar do custo do uso de madeira em uma construção estar entre 10 ou 15 por cento acima, é preciso fazer comparações corretas e envolver tudo que existe em uma obra. “No fim sai mais barato, pois na hora de comparar, a construção é entregue  mais rapidamente e com menos trabalhadores envolvidos”, fala. 

Ambientes em madeira trazem bem-estar. Segundo pesquisas internacionais, pessoas inseridas em um local que remete à natureza, são estimuladas com inovação e produtividade.

A velocidade e a forma como a madeira poderá mudar processos industriais, também é positiva. “O benefício está no lado sustentável e no lado da flexibilidade que ela (madeira) traz para a industrialização, com maior velocidade de construção, precisão de obra com previsibilidade e menos desperdício”, esclarece Nicolaos T. 

A sustentabilidade, sem dúvida, é o grande trunfo da madeira engenheirada. Um metro cúbico dessa tecnologia retira da atmosfera 1 tonelada de gás carbônico. A título de comparação, o concreto emite meia tonelada no seu processo de produção. A convidada Ana Belizário defende que isso seja o principal motivo do uso da madeira por instituições públicas e grandes marcas. “É como se ela fosse um neutralizador de outros componentes que estão na obra. Isso faz com que o governo coloque a madeira engenheirada como uma maneira de atender a agenda de emissão de gás carbônico”, justifica.

Segurança e durabilidade

O uso da madeira pode ser questionado quanto a sua durabilidade e exposição ao fogo? Para os convidados André G. e Ana B., isso foi superado há tempos. “Temos tratamentos que evoluíram junto da forma de usar madeira na construção. O modelo engenheirado se comporta muito bem, é forte, além de leve. Com o fogo, não se pensa como um problema, isso é superado depois de muitos testes e tratamentos”, fala o profissional da HTB Engenharia e Construção. 

A convidada Ana B., explica como a madeira se comporta em uma situação de incêndio - superfícies com menos massa, tendem a pegar fogo com mais facilidade. “Em construções com madeira engenheirada esse não é o caso. Sempre há um cálculo extra de queima, onde o resto da estrutura fica protegida com uma capa de carvão que assegura termicamente o miolo”, diz. Apesar de ser um material combustível, a madeira é muito mais segura do que imaginamos. “Ela é um excelente isolante térmico. Existem técnicas para garantir essa segurança” finaliza.

A solidificação da madeira engenheirada no Brasil 

Muitos profissionais estão se capacitando no exterior. “Por aqui (Brasil) ainda está no começo, mas isso veio para ficar. Ainda há poucos fornecedores, já que o mercado não é grande. Mas ele vai se adaptar em no máximo 2 anos”, defende André Glogowsky.

Precisamos fomentar essa cadeia no Brasil. É um desafio quando se traz um elemento novo para a construção civil. Hoje o capital necessita da sustentabilidade e um produto como a madeira engenheirada é essencial para o futuro, por isso, precisamos desenvolver capacitações internas e estimular a educação para universidades.

Assita ao webina na íntegra: